Ísis

Grande deusa da fertilidade e da maternidade, Ísis representava o ideal de mulher, esposa e mães dedicadas. De acordo com a crença egípcia a teologia heliopolitana, é filha de Geb, deus da terra, e Nut, deusa do céu, irmã e esposa de Osíris, juiz dos mortos, e mãe de Hórus, deus do dia. Lendas antigas descrevem Ísis como detentora de poderes mágicos, sendo representada sob a forma humana, como uma bela e elegante mulher ostentando, sobre a cabeça, o signo hieroglífico em forma de trono ou o disco solar ladeado de cornos de vaca. Inicialmente, Ísis era a deusa do trigo e era invocada no tempo de colheita. Os egípcios acreditavam que a sua personalidade se assemelhava à de Hator (com quem é, por vezes, iconograficamente confundida), deusa da alegria e do amor, sendo vista como uma encarnação dos aspectos da mulher-modelo: filha, irmã, esposa, mãe, sacerdotisa, mágica, amante e rainha. Segundo a tradição, Osíris e Ísis reinaram no Egipto num tempo próspero e feliz, durante o qual, o casal divino, ensinou ao povo as normas da civilização, a agricultura e as artes necessárias à vida. De acordo com o mito osírico, Osíris foi traído pelo seu irmão Seth, que o matou e esquartejou. Piedosamente, Ísis teria recolhido os seus pedaços, espalhados pelo Egipto, e reconstituído o seu corpo (dando origem à primeira múmia), devolvendo-o à vida através da magia, para assim conceberem um filho, Hórus, e garantir a sucessão ao trono do Egipto. Quando Osíris, ressuscitado para uma nova vida restrita ao além, partiu para sempre, Ísis criou o seu filho nos pântanos do Delta, ganhando o seu sustento como fiandeira, ocultando e protegendo Hórus de Seth, até que este chegasse à idade viril e fosse capaz de vingar o pai. Com o apoio vital de Ísis, Hórus consegue vencer Seth e ganha o estatuto de rei, fundando o padrão mítico, segundo o qual todo o faraó é Hórus. Ísis torna-se assim a protectora dos jovens, das crianças e também deusa da magia. Quando Ísis morreu a sua alma foi habitar a Lua, enquanto a de Osíris foi habitar o Sol. Os egípcios acreditavam que as cheias periódicas do Nilo eram produzidas pelas lágrimas de Ísis, que chorava a morte de Osíris, e, por isso, celebravam a festa da deusa na época em que as águas iniciavam a sua subida. Ísis passou a representar a Natureza e, como mãe de todos os seres, era também representada como uma mulher sentada amamentando uma criança ao colo.

Ísis. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2011. [Consult. 2011-03-12].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$isis&gt;.

(adaptação)

%d bloggers like this: