Recursos para Professores

Para fazer o download dos recursos, basta clicar no título sublinhado!

 

Informação:

  • Livros em formato PDF

Histórias do Povo Cigano

Histórias do povo cigano.

Sugestões de Actividades para o Ensino Básico.

Tendo em vista melhorar a eficácia da resposta educativa aos problemas surgidos da diversidade dos contextos escolares e assegurar que todos os alunos aprendam mais e de um modo mais significativo, o Departamento da Educação Básica editou o livro “Eu, Cigano sempre!” e concebeu agora “Histórias do Povo Cigano”, adaptadas a crianças, contribuindo para a construção de uma escola de qualidade, mais humana, criativa e inteligente.

 

Ciganos_Aquem_do_Tejo

 
Ciganos Aquem do Tejo 
 A presente publicaçacao eé fruto de um trabalho, contínuo e colectivo, empreendido pelos varios docentes e animadores implicados no projecto Nómada desde 1995/96 até à data, revelador de escuta sesível e de criatividade, aq que alguém chamou de improvisaçao educativa, na precisa medida emp que, confrontando-se com a inexisténcia de materials pedagógicos para trabalhar con crianças, jovens e adultos de etnia cigana, demonstraram ausadia em criar, inventar, adaptar e ajustar propostoas suas às necessidades, interesses e motivaçoes dem presença.
 
 

 ciganos1

PONTES para OUTRAS VIAGENS.
Escola e Comunidade Cigana: representações recíprocas 
Análise dos significados que a escola tem para a comunidade cigana de um bairro da cidade do Porto, bem como as representações que os professores têm da referida comunidade e do seu trabalho em grupo.     
 
 
 
Ciganos2
 
 Tempos e lugares dos ciganos na educação escolar pública
A educação escolar constitui-se numa fonte de poder. Não uma educação pensada de forma remediativa, mas uma educação no saber socialmente valorizado e que, por essa razão, é potenciadora de uma redistribuição do poder na sociedade.
 
 
 
 

Em busca da Interculturalidade entre Mulheres Ciganas e Padjas na Educação

Neste artigo, procura-se aprofundar um conhecimento sobre os sentidos que mulheres e raparigas ciganas e padjas atribuem à sua existência no quotidiano, e em particular aos tempos e espaços escolares. A pesquisa, desenvolvida na área do grande Porto e distrito de Aveiro, com jovens ciganas e lusas numa Escola EB23 e com pessoas adultas de ambas as comunidades a frequentar o Ensino Recorrente, baseia-se na recolha de narrativas biográficas, entrevistas em grupo focadas e entrevistas semi-dirigidas com elementos de ambas as comunidades cigana e padja.

  

  
 
%d bloggers like this: